Hakama

Em nossa escola de aikido temos por tradição o uso da HAKAMA apartir da faixa preta (1º Dan), porem nem sempre foi assim. Antes da 2ª guerra mundial o uso da hakama era obrigatório a todos  que praticavam o aikido com Ô Sensei, mas antes de falar sobre isso é melhor entender de onde veio e o propósito de seu uso.


Pelas pesquisas que realizei, o primeiro modelo de Hakama foi feito por volta do ano 900, era usado tanto por homens como por mulheres. Iniciou-se o uso pelas altas classes da sociedade japonesa onde espalhou-se da corte para as outras classes, mudando apenas a sua aparência e aplicação de seu uso como eventos sociais importantes, proteção contra escorpiões e acessório para cavalgada.  O tecido era variado dependendo da importância da classe social da qual o usuário pertencia, as que detinham maior poder econômico usavam seda da melhor qualidade enquanto as de baixa renda utilizavam tecidos mais modestos, as cores variaram muito durante sua longa historia indo dos mais escuros,  cores neutras,  até brilhantes.

Quanto aos tipos, encontrei alguns, o joba hakama que é usado nos dias atuais pois possui “pernas”,  aproximadamente como um traje de equitação, mas existe também  um hakama semelhante a uma saia tubo, sem pernas e um que é uma versão mais comprida deste último, que era usado em visitas ao shogun ou ao imperador e tinha de 3,5 a 4,5 metros de comprimento sendo dobrado repetidas vezes e colocado entre os pés e as costas do visitante. isso exigia que andasse em shikko para sua audiência e tornava extremamente improvável esconder uma arma ou executar um ataque rápido.

Quando a classe samurai se formou, o hakama parecia estar espalhado na sociedade e os samurais usavam como proteção ao andar a cavalo, algum tempo a montaria não era mais praticada e a hakama passou a ser um diferencial de sua classe com o propósito de esconder a posição dos pés dificultando ao adversário prever seus movimentos, também era usado como traje de gala, existindo modelos para cada ocasião.

 

Nas artes marciais o hakama tem um aspecto importante que vou transcrever num texto de Mitsugi Saotome,  aluno de Ô Sensei:

“…Contudo, minha ignorância naquela ocasião chamou a atenção de Ô Sensei para que ele desse uma aula, para todos os uchi deshi, sobre o significado do hakama. Ele explicou que o hakama era um traje tradicional para os estudantes do kobudo (o budo tradicional) e perguntou se havia alguém, dentre nós, que sabia o significado das sete pregas do hakama. “Elas simbolizam as sete virtudes do budo”. Ô Sensei disse: “Elas são jin (benevolência), gi (honra), rei (cortesia), chi (sabedoria), shin (sinceridade), chu (lealdade) e koh (compaixão). Nós encontramos essas qualidades nos samurais do passado. O hakama nos leva a refletir sobre a natureza do bushido. Vesti-lo simboliza as tradições que nos foram passadas de geração a geração. O Aikido nasceu do espírito do bushido e, através da prática, devemos nos esforçar ao máximo para lapidar essas sete virtudes tradicionais”

Extraido do livro Memórias do Grande Mestres – Ed. Pensamento.


 Ô Sensei era bastante enfático que TODOS usassem o hakama, mas ele vinha de um tempo e cultura não muito distantes do uso do hakama como um traje formal.

“A maioria dos estudantes era muito pobre para comprar um hakama, mas eram obrigados a usa-lo . Se eles não pudessem obtê-lo de um parente mais velho, poderiam pegar o tecido de cobertura de um futon velho, cortá-lo, tingi-lo e dá-lo a uma costureira para que fizesse um hakama . Porém, como eram obrigados a usar tintura barata, após algum tempo o padrão colorido original do futon começava a aparecer e fiapos começavam a soltar do tecido do hakama.”

Saito Sensei, comentando sobre o uso do hakama antigamente, no dojo de O’Sensei:

“No Japão do pós-guerra muitas coisas eram difíceis de conseguir, incluindo tecidos. Devido a esta escassez, nós treinávamos sem hakama.
Nós tentamos fabricar hakamas das cortinas usadas nos blackouts nos ataques aéreos, mas devido a sua longa exposição ao sol ao longo dos anos, as áreas dos joelhos se transformavam em pó assim que começávamos a praticar swari waza. Nós estávamos constantemente remendando aqueles hakamas. Foi naquelas condições que alguém veio com uma sugestão : “Por que não dizemos que é incorreto o uso do hakama até que você se torne shodan?”. Essa idéia foi levada adiante como uma regra temporária para evitar despesas. A idéia de aceitar a sugestão nada teve a haver com tornar o hakama um símbolo de graduação em dan.”

Fonte: www.aikikai.com.br

Apesar dessa condição descrita por Saito Sensei ter se tornado regra na maioria dos dojôs atuais, isso ainda depende de cada escola que estuda o AIKIDO.  Atualmente em alguns estilos já é concedido o seu uso às mulheres desde o 3º Kyu e aos homens desde o 1º Kyu, há estilos entretanto, onde seu uso se faz presente desde o início, no estilo Yonshinkan seu uso só é permitido a partir do 4º Dan e no Shodokan seu uso é mais frequente em eventos de gala, no dia-a-dia, pela característica do estilo existe a necessidade da livre movimentação dos pés por haver técnicas envolvendo as pernas e a necessidade didática da correção de bases e posturas por parte do professor.

Enfim, o hakama representa o “código de bushidō”  as “Virtudes do Bushidō” literalmente traduzido como “código do caminho virtudes do guerreiro”,  sendo o guia moral dos samurais em sua época.

Outro texto bem interessante que encontrei sobre as vestimentas do samurai ou praticantes das artes marciais vem do Kendo.  Transcrevo abaixo um relato de um aluno do Instituto Niten de Curitiba:

O traje tradicional do samurai utilizava duas vestimentas em forma de triângulo.
A parte superior, chamada de kamishimo, abria- se para os céus e simbolizava o mundo espiritual. A inferior, denominada hakama, estendia- se para a terra simbolizando o mundo físico.
Os dois triângulos se juntavam no hara, ou centro, dessa forma unindo o céu e a terra ao corpo humano.Essa junção é também descrita como musubi, que significa unidade de harmonia.
O kendo-gi , a vestimenta para prática do Kendo, é composto da parte superior (o uwagi) e uma parte inferior (o hakama).
Apesar da grande variedade de cores, um dojo tradicional só permite as cores azul-anil ou branca.
O cuidado que o praticante tem com seu kendo-gi demonstram seu amor e dedicação a arte.
A vestimenta é repleta de significados e conotações. Um exemplo, dentre outros, encontra-se descrito por Darrell Max Craig em sua obra, “A arte do Kendo e Kenjitsu – A alma do Samurai”.
O hakama possui cinco pregas Elas possuem um significado religioso na espiritualidade japonesa tradicional. A introdução do Zen no Japão remonta ao século VII, segundo Kaiten Nukariya, em seu estudo sobre a religião dos samurais.
Cada uma das duas pregas das costas representa um Deus da guerra, a parte que junta e prende as duas pregas simboliza o Deus sol.
O conjunto representa a harmonia. As cinco pregas devem simbolizar as cinco virtudes do código de conduta dos samurais: Jin, Gi, Rei, Chi e Shin.
Jin – a benevolência e o afeto.
Gi – a retidão e a justiça
Rei – a cortesia e a etiqueta
Chi – sabedoria e inteligência
Shin – a sinceridade.

Fonte:  Instituto Niten

  •  Post editado em 28/02/2012

6 comentários em “Hakama

  1. Muito bem feito. Ficou realmente bom de ler e foi uma ótima escolha de citações. Achei particularmente interessante as diferentes interpretações quanto ao significado das pregas da Hakama, apesar de ambas representarem virtudes.

    Parabéns, Osmair. E grato pelas informações.

    1. Exato, elas são as virtudes, segue uma transcrição da Wipédia sobre o Bushidō:

      As 7 Virtudes do Bushido

      GI (義?) – Justiça e Moralidade, Atitude direta, razão correta, decidir sem hesitar;
      YUU (勇?) – Coragem, Bravura heróica.
      JIN (仁?) – Compaixão, Benevolência.
      REI (礼?) – Polidez e Cortesia, Amabilidade.
      MAKOTO (誠?) – Sinceridade, Veracidade total.
      MEIYO (誉?) – Honra, Glória;
      CHUU (忠?) – Dever e Lealdade.

  2. Conteúdo de grande interesse para todos que se interessam por Aikido e cultura japonesa. Parabéns pela diversidade da pesquisa e pela apresentação do texto. Valeu, Osmair.

  3. Muito legal sempai, hoje mesmo um amigo meu perguntou sobre a hakama, e eu só disse a função de esconder as pernas más não sabia da sua “historia”.A próxima pessoa que me perguntar irei responder melhor
    Belo post sempai

    Abraços

  4. Muito legal aprender sobre a evolução e os diversos sentidos que o hakama foi usado! Confesso que muita coisa desconhecia. Parabéns pela iniciativa, Osmair!

Deixe uma resposta